Cor, raça e sexo dos(as) candidatos(as) a vereador(a) nas eleições municipais

21 Sep 2016 por Fernando Meireles


Com os dados de candidaturas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) praticamente consolidados1, já é possível explorar o perfil das candidaturas nas Câmaras municipais.

Entre outros, o TSE disponibiliza uma série de informações, que devem ser declaradas pelos(as) candidatos(as), que podemos usar para isto – sendo as principais o sexo e a cor/raça (disponível desde as eleições de 2012) dos candidatos(as) registrados(as). Particularmente, ambas têm importância para examinarmos a representatividade do universo de candidatos(as) concorrendo. Embora sejam parcela expressiva da população, nas últimas eleições negros(as) e pardos(as) conquistaram apenas 3% das cadeiras em disputa; e, embora desde 2009 cotas para candidatas do sexo feminino sejam obrigatórias (com reserva de 30% das vagas por lista), em 2014 menos de 10% dos eleitos para a Câmara dos Deputados foram mulheres.

Mas e nestas eleições municipais, quantos candidatos de cor/raça negra e do sexo feminino estão concorrendo às Câmaras? No caso do sexo, no total das candidaturas por estado o sexo feminino supera os 30%, sem exceções.

Em todo caso, isto não é o que ocorre em todos os municípios: em Pernambuco, por exemplo, mais de 15% dos municípios não chegaram nos 30% de candidaturas do sexo feminino – mas, por si só, isto não significa que todos os partidos e coligações nestes locais não tenham cumprido a regra. Como também pode ser visto, existe variação considerável entre os estados no que diz respeito ao percentual de municípios com mais de 30% de candidaturas do sexo feminino.

O cenário para candidatos(as) autodeclarados(as) de cor/raça negra, por outro lado, é muito pior: na média, estes(as) são apenas 8% das registrados(as), também com variação entre os estados.

Quando cruzamos estes dados com o sexo, as diferenças são ainda mais evidentes: mesmo no grupo de candidaturas do sexo feminino, que são minoria, a cor/raça aparece em menor proporção.


« Como escolher cores para gráficos cientificamente
Competição eleitoral para as câmaras municipais »