politica

Desempenho das pesquisas eleitorais no segundo turno

Apesar das invariáveis críticas que os institutos de pesquisa recebem toda eleição (vide aqui, por exemplo)[1], neste segundo turno o desempenho deles, – ao menos o de alguns deles –, não deixou a desejar. Como já havia postado no Twitter, o instituto Ibope, por exemplo, acertou, dentro da margem de erro (os 3 ou 4 tradicionais pontos para mais ou para menos), os resultados em 15 das 18 capitais onde realizou pesquisa entre os dias 25 e 28 de outubro.

Desatualização nas bases do TSE e abstenção eleitoral

Aproveitando os dados do TSE-RS, que divulgou uma lista completa dos municípios que passaram pelo recadastramento biométrico até esse ano, resolvi investigar se a biometria realmente afetou as taxas de abstenção nestas eleições. O gráfico abaixo ilustra essa diferença entre municípios que passaram ou não pelo recadastramento. Como dá pra ver, a taxa de abstenção média nos municípios que passaram a usar o sistema de biometria cai visivelmente depois de 2014 no Rio Grande do Sul (quando a maior parte dos municípios fez o cadastramento).

Uma análise de sentimentos dos tweets da Dilma Rousseff

Num post anterior, fiz uma análise dos tweets da Presidenta Dilma Rousseff. Neste aqui, aproveitei os dados já coletados para fazer algo diferente, que já estava querendo fazer há tempos: uma análise de sentimentos. Basicamente, esta técnica serve para avaliar um determinado texto, dando a ele uma nota numa escala que vai de negativo a positivo, triste a feliz, etc. No caso, vou fazer isto utilizando a API do cognitive services da Microsoft, que possui um algoritimo próprio para classificar os textos numa escala que vai de 0, mais negativo, a 1, mais positivo (assim como outros métodos, ele classifica cada palavra num texto e, então, computa um score para a frase ou trecho; para uma análise sobre a potencialidade do método, ver aqui).

Golpe ou impeachment? Uma análise dos tweets da Dilma Rousseff

Desde o ínicio do impeachment da agora Presidente afastada, Dilma Rousseff (PT), acadêmicos e articulistas discutem se este processo se encaixa na categoria de golpe de estado. Críticos do governo e membros da oposição defendem que, conceitualmente, golpe de estado envolveria deposição à força da ou do presidente (i.e., por golpe militar), o que não é o caso aqui. Por outro lado, esta definição está longe de ser consensual: outras definições são consistentes com a ausência de participação militar.